Domingo, 25 Setembro, 2022

Aldeia de Brotas: um segredo para descobrir no Alentejo

Data:

Partilhar:

Localizada no concelho de Mora, Brotas é uma belíssima e típica aldeia do Alentejo. E apesar de ficar já na fronteira com o Ribatejo, toda a alma e a essência da aldeia nos fazem lembrar o mais puro e genuíno que o Alentejo tem. Fica a pouco mais de 1 hora de viagem desde Lisboa e é uma excelente opção para um passeio de fim de semana.

Brotas é uma das mais bonitas e peculiares aldeias alentejanas. As suas casas são caiadas de branco, com as típicas faixas azuis e um risco colorido sobre as ombreiras e as portadas. As suas ruas são íngremes e sinuosas, existem flores a decorar as janelas e as varandas e as pessoas reúnem-se no largo da aldeia para um dedo de conversa.

Mas Brotas é uma aldeia peculiar e diferente das restantes. Cresceu por causa do seu imponente Santuário, que é também o maior motivo de interesse da aldeia. Antes da sua construção, não existia nada neste pequeno vale encaixado. Foi graças a este templo que as casas começaram a ser construídas e que Brotas nasceu.

Brotas
Brotas

O Santuário de Nossa Senhora das Brotas foi construído em 1424 e, nas décadas seguintes, foi um importante centro religioso da região. A sua importância e a devoção a Nossa Senhora das Brotas era de tal magnitude que a primeira igreja construída pelos portugueses na Índia foi dedicada a Nossa Senhora das Brotas.

A origem do culto permanece uma incógnita mas, segundo reza a lenda, terá tido origem num suposto milagre presenciado por um pastor, ao qual Nossa Senhora terá aparecido e curado uma das suas vacas (que tão importantes eram naquele tempo ao ponto de significar a sobrevivência de famílias inteiras).

A notícia do suposto milagre alastrou-se pelo país e começaram a chegar os primeiros peregrinos. Foram eles que deram origem à aldeia, construída em redor do santuário. Numa época em que os transportes eram inexistentes e as viagens longas e demoradas, os peregrinos organizaram-se em confrarias e ordenaram a construção de albergues mesmo junto ao templo religioso.

Nasciam assim as casas de confraria e, com elas, a aldeia alentejana de Brotas. o largo em frente ao santuário é uma espécie de anfiteatro rodeado por estas casas que serviam de abrigo aos antigos romeiros (nome arcaico dado aos peregrinos) e por isso são também chamadas de “casas de romaria”. estas habitações foram recuperadas e transformadas em alojamento local e são uma ótima opção para quem quer pernoitar na aldeia.

Brotas
Brotas

À medida que Brotas crescia, a sua importância regional aumentava. A aldeia fazia parte do concelho de Águias (uma pequena vila localizada bem perto) mas rapidamente ganhou autonomia e independência em relação a esta localidade. Mas depois do século XVI os peregrinos passaram a ser cada vez menos, Brotas perdeu a sua importância e foi integrada no concelho de Mora.

Para além do seu santuário, das casas de confraria e das suas típicas ruas alentejanas, em Brotas pode visitar a sua Igreja Matriz, construída no século XVI. E bem perto, na vila das Águias, pode deslumbrar-se com a imponente Torre das Águias, um dos melhores exemplares do estilo Manuelino em todo o Alentejo e que hoje está, infelizmente, ao abandono.

A gastronomia de Brotas é tipicamente alentejana e pode degustá-la em qualquer restaurante da aldeia ou das redondezas. Mas Brotas é sobretudo famosa pelo seu mel e pelos seus óleos essenciais, ambos produzidos em total comunhão e respeito pela natureza envolvente e seguindo métodos ancestrais.

Nos últimos anos, esta pequena aldeia do Alentejo começou a ganhar uma nova vida, muito graças à febre da EN2. É que esta estrada nacional cruza a aldeia e faz dela um ponto de paragem obrigatória para quem enveredou pela aventura de conhecer Portugal de norte a sul através desta mítica via.

Por isso mesmo, se está a percorrer a EN2 ou se vive em Lisboa e quer apenas fazer um passeio de fim de semana, dê uma oportunidade a Brotas, no concelho de Mora. Para além de contemplar uma típica aldeia alentejana, pode ainda conhecer as suas gentes e as suas tradições.

E, no final, compre um produto típico local, como o mel ou os óleos essenciais. Para além de trazer uma recordação de Brotas e do Alentejo, estará também a comprar produtos de qualidade e, sobretudo, do comércio local. Estes pequenos contributos são cruciais para que Brotas e outras aldeias do interior do país continuem vivas e à espera da sua visita.

Diana Santos
Diana Santos
Nascida e criada em Barcelos, foi no Porto que estudou jornalismo mas chama casa à cidade de Guimarães. Alia o gosto pela escrita à sua paixão por viagens.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Artigos relacionados

7 aldeias pouco conhecidas para visitar no Norte de Portugal

O Norte de Portugal é rico em pequenas aldeias, umas mais conhecidas do que outras, onde ainda são...

7 das mais bonitas aldeias históricas de Portugal

Localizadas no centro do país, especialmente perto da fronteira com Espanha, a rede de aldeias históricas de Portugal...

As 6 melhores aldeias de xisto para visitar na Serra da Lousã

A Serra da Lousã é ainda um pequeno tesouro por descobrir para a maioria dos portugueses. Por entre...

Palácio da Pena: o monumento mais bonito de Portugal

Não é tarefa fácil escolher qual é o mais belo monumento em Portugal, até porque é um país...