Segunda-feira, 21 Novembro, 2022

10 pequenos paraísos para visitar perto de Lisboa

Data:

Partilhar:

Se quiser dar um passeio perto de Lisboa, não faltam locais para o fazer. Existem sítios para todos os gostos possíveis e para qualquer tipo de turistas, querem procurem aventura ou quer viagem em família. Praias paradisíacas, aldeias típicas, bosques encantados e os palácios de Sintra são apenas alguns dos exemplos.

Dependendo daquilo que procura, pode rumar a norte e encontrar as aldeias saloias e algumas vilas e cidades repletas de imponentes monumentos. Ou pode rumar a sul e descobrir as praias de águas cristalinas da Serra da Arrábida, por exemplo.

Depois de escolher o seu local preferido, basta partir à descoberta, com os seus amigos, familiares ou até sozinho. Conheça alguns dos locais mais paradisíacos para visitar perto de Lisboa.

1. Azenhas do Mar

Azenhas do Mar
Azenhas do Mar

Situada em Colares, Azenhas do Mar é uma obra prima da arquitetura popular. Ao longo de séculos, os habitantes foram construindo as suas casas neste penhasco à beira-mar. O resultado é uma peculiar pequena aldeia com ruas íngremes e estreitas, tão pequenas que por vezes bem ruas são, mas apenas escadas em direção ao mar.

Na parte sul da aldeia fica um miradouro de onde se pode apreciar todo o conjunto. Em baixo, já na praia, fica uma pequena piscina oceânica. E a aldeia é ainda famosa pelo seu restaurante, que serve alguns dos pratos de peixe e marisco mais apreciados na região. Esta é uma das mais carismáticas aldeias perto de Lisboa.

2. Óbidos

Óbidos
Óbidos

Óbidos figura entre as mais bonitas vilas medievais de Portugal. Caminhar pelas suas ruas estreitas e coloridas é um autêntico regresso ao passado. Não é difícil imaginar como seria o dia-a-dia de quem aqui viveu há alguns séculos porque quase tudo continua igual.

A melhor forma de descobrir Óbidos é caminhar pelas suas ruas e descobrir cada beco e ruela. Cada virar da esquina é uma autêntica surpresa. As flores estão presentes em todo o lado, as cores garridas típicas da região saloia dão vida às casas e as portas e janelas escondem pequenos detalhes que vale a pena serem contemplados com atenção.

3. Aldeia da Mata Pequena

Aldeia da Mata Pequena
Aldeia da Mata Pequena

Bem perto de Lisboa, no concelho de Mafra, fica uma daquelas aldeias que nos fazem recuar no tempo. A aldeia da Mata Pequena, com apenas 10 casas, tem casas caiadas e ruas calcetadas com um encanto difícil de encontrar noutros locais.

É uma aldeia tipicamente saloia que foi totalmente recuperada e convertida em turismo rural. Os trabalhos de recuperação foram feitos de forma a preservar ao máximo a traça original da povoação. Passar uns dias na Mata Pequena é regressar ao passado e reviver cheiros, vivências e tradições de outrora. E se quiser, pode fazer deste o seu centro para explorar as redondezas.

4. Berlengas

Berlengas
Berlengas

São um destino popular, mas não perderam a sua beleza selvagem e tranquila. O arquipélago conta apenas com um hotel e um parque de campismo numa das ilhas (a única que é habitada), estando o resto bem preservado, num verdadeiro paraíso natural feito de pequenas praias que se destacam entre a água cristalina e as arribas.

5. Praia da Ribeira do Cavalo

Praia da Ribeira do Cavalo
Praia da Ribeira do Cavalo

A publicidade que ganhou nos últimos anos destruiu parte do seu encanto. Mas acreditamos que, se for a primeira vez que visita a praia do Ribeiro do Cavalo, irá adorar a experiência. Este era um daqueles tesouros quase secretos da Arrábida. Mas a era da internet tratou de tirar-lhe esse misticismo.

Hoje, são muitos os veraneantes que aqui se deslocam para apreciar a paisagem e as águas cristalinas. Mas não se esqueça: sendo uma praia selvagem, não há qualquer tipo de serviços e a praia não é vigiada.

6. Penedo

Penedo
Penedo

Uma aldeia típica nos arredores de Lisboa? Sim, é possível. A aldeia de Penedo, na freguesia de Colares, é talvez um dos melhores exemplos. Localizada no alto de uma encosta, a aldeia existe desde o século XIII.

Para chegar aqui é preciso subir por ruas estreitas e sinuosas. Apesar de a grande maioria das casas ter sido construída já em estilo moderno, ainda existem muitas de traça antiga. A localização, as ruas e ruelas íngremes e sinuosas e as casas pintadas de branco dão-lhe uma pitoresca imagem de aldeia típica.

7. Praia da Ursa

Praia da Ursa
Praia da Ursa

Encontra-se no Parque Natural de Sintra, bem próxima do Cabo da Roca, e tem um acesso muito difícil. A caminhada pode demorar uma hora, podendo o trajeto ser encurtado usando um todo-o-terreno.

A descida até à praia é longa e difícil, mas a visão deste paraíso, considerado por muitos como uma das praias mais bonitas do mundo, compensa o cansaço.

8. Praia dos Coelhos

Praia dos Coelhos
Praia dos Coelhos

A praia dos Coelhos tem o privilégio raro de não ter qualquer placa a assinalar a sua presença nem sequer estrada que possibilite chegar lá de carro. Por isso mesmo, apesar da enchente de turistas nos últimos anos, continua a ser uma das praias mais secretas da Arrábida.

Trata-se de uma praia selvagem e por isso não é vigiada nem tem serviços de apoio. Para lá chegar, é preciso percorrer um trilho pedestre um pouco escondido (leve calçado confortável). O esforço é compensado pela tranquilidade de uma praia paradisíaca, uma das mais bonitas da Arrábida.

9. Convento dos Capuchos

Convento dos Capuchos
Convento dos Capuchos

Numa terra como Sintra, repleta de palácios e edifícios exuberantes, o Convento dos Capuchos destaca-se pela sua extrema modéstia e simplicidade. Não apresenta qualquer vestígio de luxo e de conforto e foi construído de acordo com os ideais franciscanos de desapego e pobreza.

Localiza-se em plena Serra de Sintra e funde-se em perfeita harmonia com a paisagem envolvente, com as pequenas divisões perfeitamente integradas na vegetação e nos enormes penedos de granito. O bosque que rodeia o Convento dos Capuchos foi mantido pelos frades que o habitavam, sendo hoje um dos mais notáveis de Sintra.

10. Parque e Palácio da Pena

Parque e Palácio da Pena
Parque e Palácio da Pena

É o local mais emblemático de Sintra. Lá do alto, o Palácio da Pena deslumbra quem o contempla. Idealizado pelo Rei D. Fernando II, o Palácio esteve quase para não nascer. No início, a ideia era apenas reabilitar um mosteiro em ruínas que ali existia. Mas D. Fernando II caprichou e deu origem a um dos maiores símbolos de Portugal.

O parque que rodeia o Palácio foi idealizado de forma a que os visitantes pudessem aceder a diversos locais como a Cruz Alta, a Gruta do Monge ou o Vale dos Lagos. Posteriormente, foi também construído o belíssimo Chalet da Condessa D’Edla. O conjunto de árvores que constitui o Parque é um dos mais bem preservados de Portugal.

Diana Santos
Diana Santos
Nascida e criada em Barcelos, foi no Porto que estudou jornalismo mas chama casa à cidade de Guimarães. Alia o gosto pela escrita à sua paixão por viagens.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Artigos relacionados

Como e quando plantar tulipas?

São um dos bolbos mais populares em jardins de todo o mundo, sendo muito valorizadas pelas suas cores...

Hortênsias: como e quando plantar? Como cuidar?

As hortênsias são uma planta com origem asiática que chegaram à Europa há séculos, tendo-se adaptado perfeitamente às...

10 dos melhores trilhos e percursos pedestres de Portugal

Portugal tem imensos percursos pedestres de grande qualidade, que atraem os amantes das caminhadas nacionais e até mesmo...

Tarte de maçã com canela e mel: impossível comer apenas uma fatia

Poucas sobremesas são tão consensuais como esta tarte de maçã com canela e mel. É uma sobremesa que...