Domingo, 5 Fevereiro, 2023

Cortes do Meio: a capital das lagoas e cascatas da Serra da Estrela

Data:

Partilhar:

A Serra da Estrela, a montanha mais alta de Portugal Continental, ainda consegue ser uma autêntica caixinha de surpresas. Apesar de o turismo ter aumentado nos últimos anos, ainda existem locais quase secretos para a maioria dos turistas. É o caso das cascatas e piscinas naturais de Cortes do Meio.

Cortes do Meio é uma pequena aldeia perto de Tortosendo, no concelho da Covilhã. É conhecida como a “capital das cascatas e piscinas naturais da Serra da Estrela”. E o apelido é totalmente merecido! Afinal de contas, são 14 as piscinas naturais que aqui pode encontrar, todas localizadas no leito da ribeira de Cortes.

É no início da Primavera que estas cascatas da Serra da Estrela se tornam mais exuberantes, muito por causa das chuvas e do degelo da neve caída durante o Inverno. No entanto, é no Verão que elas são mais procuradas pelos banhistas, que aqui acorrem em busca de um banho refrescante no meio da natureza.

Cortes do Meio
Cortes do Meio

As águas são puras e cristalinas e algumas das lagoas possuem estruturas de apoio ou servem como praias fluviais para a população das redondezas. É fácil chegar a algumas delas mas, para outras, terá que fazer uma caminhada a pé se as quiser observar. Mas acredite: vale bem a pena.

Assim que se entra na aldeia de Cortes do Meio, é fácil avistar as placas que indicam as direções para as piscinas naturais e respetivas cascatas. A mais próxima da aldeia é o Poço da Fatela, uma lagoa comprida que resulta de uma pequena cascata e onde pode desfrutar de um refrescante banho.

Uns metros mais à frente, subindo o rio, encontra-se o Poço da Ponte Velha. Tem estacionamento perto, é pouco profundo e perfeito para chapinhar na água em segurança, mesmo com crianças. Mesmo ao lado, existe uma zona verde onde pode estender a toalha e desfrutar do sol enquanto lê um bom livro e ouve o chilrear dos pássaros.

Se continuar a subir o leito da ribeira de Cortes, irá encontrar a praia fluvial do Poço da Monteira, também com quedas de água e uma grande lagoa. Possui estruturas de apoio, um bar e um centro interpretativo da moagem instalado num antigo moinho recuperado. As obras de melhoramento desta praia foram efetuadas em 2021 e fizeram dela um dos melhores locais para ir a banhos na Serra da Estrela.

Cortes do Meio
Cortes do Meio

Segue-se o Poço das Azenhas. Como o próprio nome indica, era o local onde se concentravam grande parte dos moinhos de água que os habitantes locais utilizavam para moer os cereais. Hoje estão em ruínas, mas a visita vale a pena na mesma. O acesso a esta piscina natural, comprida e profunda, não é fácil e recomenda-se algum cuidado.

Nesta altura, já se encontra perto de outra aldeia: Bouça. Trata-se de uma pitoresca e típica aldeia da Serra da Estrela onde vale a pena parar um pouco para descansar e recuperar forças da caminhada. E bem perto, encontra-se mais uma piscina natural: o Poço do Funil. Dizem os moradores locais que é um dos mais bonitos de todo o leito da ribeira. Também tem uma pequena cascata que alimenta a lagoa, onde é possível dar uns mergulhos. Existe ainda uma zona de descanso com sombra.

A próxima lagoa é o Poço do Forno Velho. Diz a lenda que terá sido ali que foi construída a primeira casa da aldeia de Bouça por um foragido à justiça. Um pouco mais à frente encontra o Poço da Formiga e o Poço do Combarão. Este último é o que tem as cascatas mais vistosas de toda esta série de quedas de água.

Se a sua intenção é dar uns mergulhos, esta pode ser a melhor zona de toda a ribeira de Cortes. No entanto, não é a mais adequada para crianças. Se estiver acompanhado pelos seus filhos, opte pela praia fluvial do Poço da Monteira, que tem mais condições, estruturas de apoios e mais segurança.

O Poço do Embude é a piscina natural que se segue. É mais pequeno do que os anteriores e tem várias cascatas, também de pequena dimensão. Segue-se o Poço da Penha Fundeira, de enorme beleza mas pouco propício para ir a banhos. No entanto, é perfeito para tirar algumas fotos como recordação.

Um pouco mais acima fica o Poço do Inferno (também conhecido como Penha Cimeira). Apesar de ter o mesmo nome, não é o mesmo Poço do Inferno localizado em Manteigas e alimentado pelas águas da ribeira de Leandres. Os nomes idênticos são apenas uma coincidência.

A Penha Cimeira fica localizada perto de um abrigo de pastores, entre duas rochas e com difícil acesso. Por isso, limite-se apenas a observá-lo e siga em frente, até ao Poço do Brejo e ao Poço do Meio Quartilho, ambos também profundos e de difícil acesso. 

Por fim, o Poço da Cascata. É uma das mais bonitas, com uma queda de água a alimentar uma lagoa. Não é o melhor local para ir a banhos, mas é sem dúvida o ponto final perfeito para esta caminhada em busca das cascatas da Serra da Estrela, ao longo da ribeira de Cortes.

Diana Santos
Diana Santos
Nascida e criada em Barcelos, foi no Porto que estudou jornalismo mas chama casa à cidade de Guimarães. Alia o gosto pela escrita à sua paixão por viagens.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Artigos relacionados

Calamares à Romana: um petisco espanhol que faz crescer água na boca

A gastronomia espanhola nunca deixa de nos surpreender pela facilidade em criar petiscos deliciosos a partir de ingredientes...

Frango de churrasco à Portuguesa: delicioso e muito fácil de fazer

Sempre que chegam os dias quentes do Verão, chega também a vontade de desfrutar de um bom churrasco...

Tarte de abóbora com laranja: impossível comer apenas uma fatia

A tarte de abóbora com laranja sabe a um dia frio e chuvoso de Outono e a um...

Tarte de laranja e leite condensado: uma sobremesa que derrete na boca

A tarte de laranja e leite condensado é uma daquelas sobremesas que não deixa ninguém indiferente. O ligeiro...