Quarta-feira, 30 Novembro, 2022

Os 12 monumentos mais imponentes de Portugal

Data:

Partilhar:

Nem todos os monumentos precisam de ser imponentes. Mas quando o são, o espanto que causam quando os visitamos é ainda maior. Apesar do seu pequeno tamanho, Portugal é um país rico em variedade de estilos arquitetónicos que também se reflete nos seus monumentos, sejam eles grandiosos ou mais modestos.

Assim, alguns monumentos destacam-se pela sua história, outros pela antiguidade, outros por serem expoentes máximos de um estilo arquitetónico (como o manuelino)… mas todos são igualmente belos e relevantes, independentemente do seu tamanho e grandiosidade.

No entanto, quando pensamos em monumentos nacionais, existem alguns que se destacam e e que são muito mais visitados e conhecidos do que os restantes. Ficamos, muitas vezes, a pensar como terá sido possível construir obras desta dimensão. Estes são alguns dos monumentos mais imponentes de Portugal.

1. Mosteiro da Batalha

Mosteiro da Batalha
Mosteiro da Batalha

O mosteiro de Santa Maria da Vitória é uma daquelas obras-primas incontornáveis da arquitetura nacional e até europeia. O conjunto arquitetónico nasceu de uma promessa feita por D. João I, como agradecimento da vitória na batalha de Aljubarrota, que lhe assegurou o trono e a independência nacional face aos espanhóis. As obras duraram 150 anos, o que justifica a existência de elementos góticos, manuelinos e renascentistas.

2. Convento de Cristo

Convento de Cristo
Convento de Cristo

Pertenceu à Ordem dos Templários, tendo sido fundado pelo Grão-Mestre D. Gualdim Pais. O convento conserva ainda recordações desses cavaleiros, que fizeram deste edifício a sua sede em Portugal. O Infante D. Henrique, Mestre da Ordem de Cristo desde 1418, mandou construir os claustros entre a Charola e a fortaleza dos Templários.

3. Mosteiro de Alcobaça

Mosteiro de Alcobaça
Mosteiro de Alcobaça

O mosteiro está classificado como Património Mundial pela UNESCO e é considerada uma das mais importantes abadias Cistercienses da Europa. O local foi doado por D. Afonso Henriques a Bernardo de Claraval, e as obras começaram em 1178, sendo esta a primeira obra verdadeiramente ao estilo gótico a ser erguida em Portugal.

4. Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos
Mosteiro dos Jerónimos

É uma das obras que melhor exprime a arquitetura manuelina, tendo sido encomendado pelo próprio D. Manuel I pouco depois do regresso de Vasco da Gama, vindo da Índia. O mosteiro foi entregue à Ordem de São Jerónimo (daí o nome), que por lá se estabeleceu até 1834.  Sobreviveu ao grande terramoto de 1755, mas foi danificado pelas tropas de Napoleão Bonaparte, em inícios do séc. XIX.

5. Santuário do Sameiro

Santuário do Sameiro
Santuário do Sameiro

É o segundo santuário mariano em Portugal e por isso, este atrai milhares de turistas e peregrinos durante todo o ano. Trata-se do Santuário do Sameiro que proporciona uma incrível panorâmica sobre a cidade de Braga e um contacto imenso com a natureza.

Para além da vertente religiosa, há muito mais para fazer neste sítio, como apreciar a vista sobre a cidade, subir até à parte mais alta do santuário que se encontra a mais de 600 metros de altitude e passear nos seus jardins.

6. Paço Ducal de Vila Viçosa

Paço Ducal de Vila Viçosa
Paço Ducal de Vila Viçosa

Não há dúvidas de que este é um dos edifícios mais emblemáticos do Alentejo, sendo rico em história. Afinal, este palácio foi um dos favoritos da família real portuguesa ao longo de séculos. A sua fachada é icónica, com 110 metros revestidos a mármore da região. Hoje, o palácio é um museu, contando no seu acervo com mobiliário antigo da família real portuguesa.

7. Aqueduto da Amoreira

Aqueduto da Amoreira
Aqueduto da Amoreira

Esta ousada construção supriu a escassez de água causada pelo aumento da população de Elvas, em tempos antigos. O aqueduto começou a ser construído em 1530, mas levou mais de um século para ser terminado. Esta obra, certamente uma das mais intrigantes do Alentejo, tem 843 arcos e algumas galerias subterrâneas.

8. Santuário de Santa Luzia

Santuário de Santa Luzia
Santuário de Santa Luzia

Trata-se de um grande monumento da arquitetura romântica em cima de um monte, onde é possível ter uma vista privilegiada para uma grande parte da cidade. É, sem dúvidas, um dos santuários mais bonitos de Portugal.

Sendo o ícone mais carismático da cidade, o Santuário de Santa Luzia é considerado o ex-libris desta região, atraindo imensos turistas que atravessam o seu interior detentor de uma beleza incrível, até chegar ao topo e maravilharem-se com a paisagem espetacular sobre a cidade.

9. Paço dos Duques de Bragança

Paço dos Duques de Bragança
Paço dos Duques de Bragança

Inspirado nas moradias senhoriais francesas, o Paço dos Duques de Bragança serviu de habituação a esta mesma família, mas após a sua deslocação para o Alentejo, este edifício começou a degradar-se, ao longo dos séculos. Mais tarde, veio a tornar-se num quartel militar e atualmente, é um museu de arte contemporânea. Trata-se de um monumento de visita obrigatória em Guimarães e no Norte de Portugal.

10. Forte da Graça

Forte da Graça
Forte da Graça

Com uma história marcada pela guerra, não é de admirar que existem diversos fortes em Elvas. O Forte da Graça destaca-se pela sua posição dominante, no cimo do monte Nossa Senhora da Graça, mas também pela sua arquitetura peculiar, que dá ao visitante uma vista aérea impressionante. Não deixe de visitar construções semelhantes na sua visita à cidade.

11. Palácio da Pena

Palácio da Pena
Palácio da Pena

Encontra-se a cerca de 4,5km do centro histórico de Sintra e é um ex-líbris da arquitetura portuguesa do Romantismo. O palácio começou a ser edificado em 1839, altura em que o consorte de D. Maria II, D. Fernando, adquiriu as ruínas do Mosteiro Jerónimo de Nossa Senhora da Pena, com o objetivo de as converter num palacete. Foi por esta altura que se mandou também plantar de raiz o Parque da Pena. O conjunto é um dos marcos da região e um dos locais mais reconhecidos no nosso país.

12. Palácio Nacional de Mafra

Palácio Nacional de Mafra
Palácio Nacional de Mafra

Diz-se que a obra se construiu devido a uma promessa feita relativa a uma doença de que o rei padecia. Com o nascimento da princesa D. Maria Bárbara, a promessa foi cumprida e o palácio e convento barroco, que hoje domina a vila de Mafra, começou a ser construído.

Os trabalhos começaram a 17 de novembro de 1717, com o modesto projeto de abrigar 109 frades franciscanos, mas a entrada do ouro do Brasil nos cofres portugueses levou a que D. João V e o seu arquiteto Johann Friedrich Ludwig a iniciarem planos mais ambiciosos, não se poupando a despesas.

Diana Santos
Diana Santos
Nascida e criada em Barcelos, foi no Porto que estudou jornalismo mas chama casa à cidade de Guimarães. Alia o gosto pela escrita à sua paixão por viagens.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Artigos relacionados

5 aldeias quase desconhecidas para visitar em Trás-os-Montes

A região de Trás-os-Montes é rica em pequenas aldeias, umas mais conhecidas do que outras, onde ainda são...

6 locais perfeitos para uma escapadinha romântica no Gerês

De vez em quando é necessário apimentar um pouco as coisas ou, simplesmente, ter um tempo de paz,...

10 fantásticos passeios em família no Norte de Portugal

Por vezes, pode ser um pouco difícil encontrar formas de entretenimento para as férias das crianças, que sejam...

12 passadiços, cascatas e lagoas para descobrir no Norte de Portugal

O Norte de Portugal tem ainda muitos locais quase desconhecidos para a maioria dos turistas, talvez porque são...