Quinta-feira, 24 Novembro, 2022

7 locais pouco conhecidos para descobrir no Parque Nacional Peneda Gerês

Data:

Partilhar:

O Parque Nacional da Peneda Gerês tornou-se num dos locais mais visitados de Portugal. São cada vez mais as pessoas que procuram as suas cascatas, as suas aldeias, os seus segredos ou as suas belezas naturais. Mas será que continuam a existir locais desconhecidos no Gerês, longe do turismo massificado e das enchentes de turistas?

Sim, existem ainda muitos locais secretos ou pouco frequentados no Parque Nacional Peneda Gerês. Mas a grande maioria desses locais está situada em zonas do parque mais sensíveis do ponto de vista ambiental e não devem ser visitadas ou publicitadas. Por isso, aquilo que verá nesta lista são locais desconhecidos no Gerês que pode, efetivamente, visitar.

E se resolver fazer-se ao caminho e descobrir esta região, que é uma das mais bonitas de Portugal, não se esqueça de respeitar a Natureza e as pessoas que lá vivem. Descubra alguns dos locais mais secretos que pode visitar no Gerês.

1. Ponte de Quintão

Ponte de Quintão
Ponte de Quintão (António Cunha)

A ponte medieval de Quintão liga as freguesias de Brufe e Carvalheira e atravessa o rio Homem. Teria sido construído para permitir a passagem, não só de pessoas, mas também de carroças e cavalos. Apesar de muitos lhe chamarem ponte romana, terá sido construída na Idade Média.

2. Poço do Teixo

Poço do Teixo
Poço do Teixo

É quase um mistério a razão pela qual esta pequena maravilha é quase desconhecida pelas pessoas que visitam o Gerês.

É que o Poço do Teixo fica mesmo ao lado da Cascata do Arado, mas passa despercebido por todos aqueles que se maravilham tanto com esta cascata que aqui ficam e não exploram as redondezas.

Para chegar ao Poço do Teixo é muito simples: siga precisamente na direção contrária à Cascata do Arado, em direção ao Miradouro das Rocas. O Poço do Teixo fica um pouco antes do miradouro.

3. Poças do Malho

Poças do Malho
Poças do Malho

As Poças do Malho são 4 poços bem fundos com 4 belas quedas de água no Rio Castro Laboreiro, mais ou menos entre a Mistura das Águas (ponto em que o Rio Peneda se encontra com o Laboreiro) e Ribeiro de Baixo. Servem de fronteira entre Portugal e Espanha.

A melhor forma de chegar até este local é pelo lado espanhol, numa rota que tem início quando quando a estrada que liga Olelas à Mistura das Águas termina. Decorre sempre do lado direito do Rio Laboreiro, no lado espanhol do Parque Nacional Peneda Gerês.

4. Ponde da Dorna

Ponde da Dorna
Ponde da Dorna

As origens da Ponte da Dorna são um verdadeiro mistério. O seu aspeto é claramente medieval, mas há quem afirme que tem origens romanas.

E para adensar ainda mais o enigma, a ponte não é mencionada nos registos paroquiais de 1758. O mais certo é ter sido reconstruída várias vezes ao longo dos séculos.

Fica localizada a sul de Castro Laboreiro, atravessa a ribeira de Dorna e faz a ligação às inverneiras de Dorna e Pontes. Dada a sua localização, presume-se que terá sido utilizada para permitir a passagem de gado durante a transumância.

5. Ponte da Ladeira

Ponte da Ladeira
Ponte da Ladeira

Pouco se sabe sobre a ponte da Ladeira, mas o seu aspeto medieval é notório, embora tenha sofrido algumas obras de restauro e recebido umas proteções laterais de ferro que nada combinam com a sua estrutura em granito.

Fica localizada bem perto do Soajo, no antigo caminho que conduzia até ao Lindoso. Pensa-se que a sua construção terá sido iniciativa dos monges do Mosteiro de Ermelo.

6. Aldeia de Pontes

Aldeia de Pontes
Aldeia de Pontes

Pontes era uma aldeia inverneira de Castro Laboreiro, o que significava que era aqui que alguns moradores passavam o inverno, já que encontravam melhores condições para alimentar o gado durante essa época. Mas a aldeia de Pontes está desabitada há mais de 15 anos.

No entanto, encontra-se a ser totalmente recuperada para o turismo rural e, apesar do projeto ser recente, começa a atrair cada vez mais pessoas, que procuram paz, sossego e comunhão com a natureza.

A partir de Pontes partem 7 trilhos pedestres, que pode usar para explorar a região, sendo que a maioria dos percursos são pequenos e de dificuldade fácil, permitindo-lhe descobrir uma zona rica em rios de água límpida, pontes medievais, várias pequenas cascatas e lagoas quase secretas.

7. Meda da Rocalva

Meda da Rocalva
Meda da Rocalva

Bem no centro da Serra do Gerês, a Meda da Rocalva é um dos mais impressionantes geomonumentos de todo o Parque Nacional. Bem perto, fica outro exemplar digno de registo, a Roca Negra. É possível avistar a Meda da Rocalva relizando o Trilho da Vezeira de Fafião.

Diana Santos
Diana Santos
Nascida e criada em Barcelos, foi no Porto que estudou jornalismo mas chama casa à cidade de Guimarães. Alia o gosto pela escrita à sua paixão por viagens.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Artigos relacionados

6 das aldeias mais típicas para visitar no Alentejo

Terra de planícies onduladas, com casas caiadas de branco espalhadas por pequenos montes, o Alentejo é uma das...

Os 8 castelos mais imponentes de Portugal

Existem centenas de castelos em Portugal. Construídos como meio de defesa das fronteiras dos ataques espanhóis, hoje os...

Sericaia com ameixas de Elvas: um doce conventual de fazer crescer água na boca

Dizem os mais antigos que, em tempos idos, a Sericaia de Elvas era cozida juntamente com o pão...

Como e quando plantar tulipas?

São um dos bolbos mais populares em jardins de todo o mundo, sendo muito valorizadas pelas suas cores...