Domingo, 25 Setembro, 2022

6 ideias para uma escapadinha de fim de semana na Serra da Estrela

Data:

Partilhar:

A Serra da Estrela é a montanha mais alta de Portugal continental e é considerada Parque Natural. A maior parte dos portugueses visita-a sobretudo durante o Inverno, na esperança de ver alguma neve, sem imaginarem que a riqueza desta serra nas outras estações do ano é ainda mais cativante e deslumbrante.

No Outono, a Serra da Estrela pinta-se de amarelo e vermelho e são muitos os percursos pedestres para apreciar as tonalidades próprias desta estação do ano. Na Primavera, são os campos e pastagens verdejantes que cativam quem por aqui se atreve a passar. E no Verão, as suas praias fluviais proporcionam momentos de diversão e frescura.

O Parque Natural da Serra da Estrela tem muito mais para visitar do que aquilo que possa imaginar. E se tiver curiosidade em conhecer um pouco mais sobre esta belíssima região portuguesa, descubra 6 locais na Serra da Estrela que são perfeitos para uma escapadinha de fim de semana.

1. Alvoco da Serra

Alvoco da Serra
Alvoco da Serra

A pequena e singela aldeia de Alvoco da Serra é um dos segredos mais bem guardados da Serra da Estrela. Localiza-se no fértil vale da Ribeira de Alvoco, no concelho de Seia, a 680 metros de altitude. As encostas que rodeiam a aldeia estão repletas de socalcos construídos para domar a paisagem às necessidades humanas.

A melhor forma de conhecer Alvoco da Serra é passeando pelos seus becos e ruelas. A alcunha de “aldeia granito” é fácil de perceber: esta rocha domina toda a paisagem, desde a montanha, às casas, às ruas e às fontes de água. A Casa do Barão e a capela medieval de São Pedro são os 2 grandes destaques do património da aldeia.

2. Penhas da Saúde

Penhas da Saúde
Penhas da Saúde

Encontra-se a 1500 metros de altitude, numa localização privilegiada entre a Torre e a Covilhã, contando com uma panorâmica invejável sobre o planalto e a montanha. Aqui encontra diversas opções de alojamento, que costumam ficar esgotadas nos meses mais frios, em que a neve é visita assídua.

Se quiser subir em direção à Torre, aconselhamos a que faça pelo menos duas paragens, uma na Barragem do Lago Viriato e outra na marcante Senhora da Boa Estrela, um monumento esculpido na rocha, com 7 metros de altura, e que representa a padroeira dos pastores. As Penhas da Saúde fazem parte da freguesia de Cortes do Meio, conhecida como a “capital das piscinas naturais em Portugal”.

3. Linhares da Beira

Linhares da Beira
Linhares da Beira

A aldeia medieval de Linhares da Beira, fundada no século XII, apresenta ainda hoje um património arquitetónico muito rico, com destaque para o castelo, com vista para o Mondego. Vale também a pena passear pelas suas ruas íngremes e sinuosas e apreciar as casas de pedra bem conservadas.

Nesta aldeia, as tradições ainda se mantêm vivas e fazem parte da vida dos habitantes, com os poucos estabelecimentos comerciais a serem passados de pais para filhos e com as senhoras e levarem a roupa suja até às margens do rio.

4. Cortes do Meio

Cortes do Meio
Cortes do Meio

A Serra da Estrela, a montanha mais alta de Portugal Continental, ainda consegue ser uma autêntica caixinha de surpresas. Apesar de o turismo ter aumentado nos últimos anos, ainda existem locais quase secretos para a maioria dos turistas. É o caso das cascatas e piscinas naturais de Cortes do Meio.

Cortes do Meio é uma pequena aldeia perto de Tortosendo, no concelho da Covilhã. É conhecida como a “capital das cascatas e piscinas naturais da Serra da Estrela”. E o apelido é totalmente merecido! Afinal de contas, são 14 as piscinas naturais que aqui pode encontrar, todas localizadas no leito da ribeira de Cortes.

5. Folgosinho

Folgosinho
Folgosinho

Esta é uma daquelas localidades portuguesas que toda a gente deveria visitar pelo menos uma vez na vida. Folgosinho, no concelho de Gouveia, não é apenas uma das mais bonitas aldeias da Serra da Estrela. É também uma das mais carismáticas e mais pitorescas. Além disso, está repleta de património e de lendas (que vão desde Viriato a Afonso Henriques).

Os séculos de isolamento a que esteve sujeita moldaram a aldeia e a sua população. E apesar de hoje já ter chegado a modernidade, continuam a poder ver-se, por vezes, os rebanhos a ir para os pastos ou as mulheres a ir buscar água às fontes. Folgosinho soube evoluir preservando o que tem de mais genuíno e especial.

6. Loriga

Loriga
Loriga

Após uma estrada serpenteante e que convida ao passeio, com curvas audaciosas pelas encostas da serra, onde a cada volta nos podemos deparar com uma paisagem de cortar a respiração, encontra-se Loriga. Os seus casarios brancos impressionam os visitantes, mas é a Natureza que aqui parece reinar, num verdadeiro reino de esplendor e vida.

Os montes que circundam Loriga são ricos em paisagens surpreendentes, deixando-nos abismados os cerros mais íngremes, cortados a pique, e tão bem contrabalançados pela ondulação dos vales e montes. A água cristalina é aqui abundante, deslizando suave e com um murmurar suave que traz a melancolia à paisagem e aos visitantes.

Diana Santos
Diana Santos
Nascida e criada em Barcelos, foi no Porto que estudou jornalismo mas chama casa à cidade de Guimarães. Alia o gosto pela escrita à sua paixão por viagens.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário!
Por favor, escreva o seu nome aqui

Artigos relacionados

7 aldeias pouco conhecidas para visitar no Norte de Portugal

O Norte de Portugal é rico em pequenas aldeias, umas mais conhecidas do que outras, onde ainda são...

7 das mais bonitas aldeias históricas de Portugal

Localizadas no centro do país, especialmente perto da fronteira com Espanha, a rede de aldeias históricas de Portugal...

As 6 melhores aldeias de xisto para visitar na Serra da Lousã

A Serra da Lousã é ainda um pequeno tesouro por descobrir para a maioria dos portugueses. Por entre...

Palácio da Pena: o monumento mais bonito de Portugal

Não é tarefa fácil escolher qual é o mais belo monumento em Portugal, até porque é um país...